Francisco Xavier embarca em Lisboa, com destino à Índia (7 abril 1541)

O momento da partida de São Francisco Xavier ficou gravado na obra da autoria de José Pinhão de Matos, intitulada: PANORAMA DE LISBOA E PARTIDA DE SÃO FRANCISCO XAVIER PARA A ÍNDIA.

Esta pintura representa a vista panorâmica de Lisboa na segunda metade do século XVII, e vai do Terreiro do Trigo a Este, até à Cruz Quebrada ( já fora dos limites da cidade ) a Oeste, passando pela Rocha do Conde de Óbidos e Belém, onde se destaca o Mosteiro dos Jerónimos e a Torre de Belém, enquanto que, para o interior, ainda se consegue visualizar o Paço da Alcáçova, a Sé e São Vicente de Fora e a Oeste uma conjunto de conventos.

São reproduzidos detalhadamente toda a zona ribeirinha e mais precisamente o mercado da Ribeira Velha, a Casa da Índia e o Terreiro do Paço devido à perspetiva vinda do rio Tejo, que se encontra cheio de caravelas e naus nacionais e Estrangeiras.

A esta vista de Lisboa no século XVII, é acrescida a partida para Goa de São Francisco Xavier corrido em abril de 1541. O pintor pinta os diversos momentos do acontecimento: a saída do Santo para a passarela que dá acesso ao Rio, o embarque na galeota e o trajeto desta que se dirige para a nau da armada da Índia.

Na parte superior da composição, está representada a cena de despedida de Francisco de Xavier ao rei D. João III, envolta por grinaldas suspensas por dois anjos. Um terceiro anjo, no ângulo superior esquerdo desenrola um pergaminho onde se pode ler: “Acceptis a Joane III / pontificis literis / nuntius apostolicus / in Indiam solvit / Santus Francisco Xavierius. /” -Depois de ter recebido as cartas pontifícias das mãos de D. João III, o Núncio apostólico São Francisco Xavier parte para a Índia.

A pintura abaixo encontrava-se no noviciado jesuítico da Cotovia (atual MNHNC) e hoje no Museu Nacional de Arte Antiga (MNAA), em Lisboa.

D. João III e o núncio apostólico da Índia, ou A partida de São Francisco Xavier em 1541,
José Pinhão de Mattos, c. 1730.
MNAA

É completada com a Vista de Goa, pintura que se encontra igualmente no Museu Nacional Arte Antiga.

Vista de Goa, José Pinhão de Matos
MNAA

A Vista da Cidade de Goa, também conhecida como A Chegada de São Francisco Xavier à Capital do Estado da Índia (incluída no seu medalhão), foi pintado para o Colégio da Cotovia, e é obra da autoria de José Pinhão de Matos e de seu filho, em associação.

Fachada do edifício do Noviciado da Cotovia, da Companhia de Jesus
Archivo pittoresco : semanario illustrado, 1863

In VEIGA, Francisca Branco – “Noviciado da Cotovia: O passado dos Museus da Politécnica 1619-1759” [texto policopiado]. Dissertação para a obtenção do Grau de Mestre em Património Cultural. Lisboa: Universidade Católica Portuguesa, 2009.

31 julho 1833 (Lisboa)

D. PEDRO DÁ ORDEM DE EXPULSÃO AOS MISSIONÁRIOS JESUÍTAS DE LISBOA.

No dia 31 de julho, dia de Santo Inácio de Loiola, foram obrigados a sair do Colégio de Santo Antão-o-Velho alguns padres e irmãos jesuítas que se encontravam em Portugal desde 13 de agosto de 1829. Partiram para a Inglaterra num grande navio de comércio inglês. No dia 16 de agosto, desembarcaram no porto de Liverpool, sendo levados para o seminário de Stonyhurst . Outros, partiram no dia 4 de agosto num brigue genovês fretado pelo Núncio Apostólico, chegando a Génova no dia 17 do mesmo mês.

O ano de 1833 marcava o fim da Missão Jesuíta em Lisboa mas, no Colégio das Artes, em Coimbra, ainda ficavam 18 missionários, vindo a ser expulsos por D. Pedro no ano seguinte.

Colégio de Santo Antão-o-Velho | Colégio de Santo Agostinho | Exterior | Fachada poente. POR059125.
© CML | DMC | Arquivo Municipal de Lisboa.